Conselho Federal solicita 6 bilhões para financiar a Horizon Europe

Compartilhe esse post:

A Suíça deseja continuar participando dos programas de pesquisas cientificas da União Europeia. Mas uma nova diretriz da Comissão da UE pode estragar os planos dos que desejam integrar o comité.

O Conselho Federal quer garantir o acesso à próxima geração de programas de pesquisa da UE. Tendo isso em vista, solicitou ao Parlamento 6,154 bilhões de francos suíços para financiar pesquisas da “Horizon Europe”. Os fundos cobriam os supostos valores obrigatórios para uma participação da Suíça como um Estado associado até 2027, anunciou o Departamento de Assuntos Econômicos, Educação e Pesquisa.

Valor do ticket? 5,423 bilhões de franco suíços. Cerca de 30 bilhões de reais.

O ticket inclui o Programa-Quadro da UE para Pesquisa e Inovação, chamado Horizon Europe, e o programa Euroatom, o novo “Programa Europa Digital” e a participação na infraestrutura internacional para pesquisa de fusão nuclear (Iter).

O Horizon Europe é uma iniciativa que conduz pesquisas científicas no velho continente.

Uma verba extra no valor de 117 milhões de francos também estão incluídas no pedido. O objetivo é promover a ampla participação de pesquisadores da Suíça nos estudos europeus. Mas a Suíça agora corre o risco de perder acessibilidade por causa do lugar que ocupa no momento: de acordo com uma nova proposta da Comissão da UE, os países que desejam participar do programa de pesquisa da UE “Horizonte Europa” 2021-2027 devem ser divididos em quatro categorias. A Suíça não estaria mais na primeira, mas na quarta categoria, o que poderia resultar em restrições à participação.

Por esse motivo, existem divergências na capital com a nova categorização. Uma prerrogativa da união europeia para participar dos estudos seria a livre circulação de pessoas no território europeu – como previsto no acordo Bilaterais I e, consequentemente, “a base da participação da Suíça em todos os programas-quadro subsequentes de pesquisa” – incluindo o “Horizonte Europa”. A Suíça não concorda com a proposta de livre circulação de pessoas com passaporte europeu no país. A Confederação Helvética deseja manter um controle mais rígido, como tem feito nos últimos anos. Esse é um ponto de divergência famoso nas reuniões com a UE.

Se a parceria com o Horizon Europe não se concretizar, os fundos direcionados para a sociedade poderiam ser usados ​​como alternativa para financiar projetos suíços. Dessa maneira, os pesquisadores suíços poderiam receber condições tão semelhantes quanto possível, na procura por novas tecnologias cientificas.

Compartilhe esse post:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares